Foto PR

Fui convidada para contribuir com a minha história pessoal para um movimento que pretende mostrar que as mulheres são lindas, sempre! Que independentemente de correspondermos, ou não, aos supostos padrões de beleza, temos que aprender a ser felizes acima de tudo.

#Vive a Tua Beleza tem como objetivo mudar a mentalidade sobre o que é a perfeição e passar a mensagem de que as mulheres têm de aprender a ser felizes aceitando-se como são e procurando a melhor versão de si próprias.

Eu, Adriane Garcia, Ana Gomes, Helena Magalhães, Sara Cabido, Marta Martins, Marta Pinto de Miranda e Sara Meess decidimos contribuir com as nossas histórias mais íntimas e pessoais esperando que, com elas, se sintam inspiradas a também vocês partilharem as vossas histórias, os vossos desabafos, as vossas inseguranças na plataforma www.viveatuabeleza.pt.

Por lá podem encontrar a história de cada uma destas 8 bloggers (e que histórias), as fotografias da campanha que foram tiradas pela minha grande amiga e profissional Paula Bollinger mas também um vídeo do making of. Não podia deixar de agradecer ao Boticário e à Salsa por terem apoiado este movimento sem hesitar.

Espero com a minha história inspirar outras pessoas e fazer-lhes ver que a imagem não é tudo. Que a vida é muito mais que uma cara bonita, um tamanho de roupa ou um sorriso perfeito. Isto tudo não nos serve de nada se de facto não soubermos aproveitar a vida e os momentos que ela nos proporciona, as experiências pelas quais ela nos possibilita passar e que duram muito mais do que uns meros anos a viver com as medidas perfeitas.

Aqui fica o texto que está no site, um pouco mais longo pelas referências a algumas pessoas. Espero que se inspirem e que juntas possamos ser mais fortes!

Magda

O dia 7 de fevereiro de 2015 ficará para sempre na minha memória.

Nesse dia acordei com uma dor de cabeça como nunca tinha sentido na vida.

Fui de ambulância para o hospital e depois de TAC’s e Ressonâncias veio o diagnóstico, um edema cerebral provocado por uma otite. Passadas 48h do internamento, os médicos decidiram operar. A operação tinha os seus riscos mas, não a fazer podia ser fatal.

Foi uma experiência assustadora, o receio de uma operação à cabeça, o tempo prolongado do tratamento, a incógnita de saber quais seriam os resultados e, acima de tudo, as saudades que tive do meu filho de apenas 1 ano que mal consegui ver durante esse tempo.

Foi um choque ver o cabelo rapado, a costura cheia de agrafos, o corpo inchado (reação da medicação e da cortisona) mas, eu só queria ficar bem e poder seguir com a minha vida!

Saí do hospital quase um mês depois, ganhei algum peso e tive que cortar o cabelo bem curto mas, felizmente tudo passou. Agradeço todos os dias pelo excelente trabalho do neurocirurgião, o Dr. Pedro Moura Branco e da restante equipa que me operou e acompanhou, do otorrino Vítor Sousa que me continua a acompanhar e de todos os enfermeiros e auxiliares do Hospital de São José que foram muito importantes na recuperação. Foram eles que cuidaram tão bem de mim, sempre com um sorriso, uma palavra amiga e até um ombro onde chorei algumas vezes.

Aprendi que nesta vida, sem saúde, não somos nada e que o mais importante são as pessoas que estão à nossa volta. Sou abençoada pelos amigos e principalmente pela família que tenho! Foram eles que me valeram.

Vivemos num mundo em que infelizmente a imagem conta muito e acabamos, por vezes, por ser escravos dela. Não estaremos a negligenciar o mais importante? Não há nada que se compare a podermos desfrutar do que a vida nos oferece e dos momentos que vivemos com as pessoas que temos à nossa volta.

Tenho ainda alguns quilos que quero perder, não porque a sociedade me impõe mas porque sei que é o peso com que me sinto bem. Um dia chego lá, com calma, sem pressões e vou vivendo a minha beleza, todos os dias! Porque isso é o mais importante, VIVER!

Deixar comentário




um × três =